INSEJEC - Igreja Nacional do Senhor Jesus Cristo

Carreira Cristã

carreira1
“Livremo-nos de tudo que nos atrapalha e do pecado que nos envolve, e corramos com perseverança a corrida que nos é proposta, tendo os olhos fitos em Jesus, autor e consumador da nossa fé” (Hebreus 12:1b2a).

carreira2

A vida cristã é comparada a uma corrida na qual entramos na pista e corremos rumo ao alvo. À nossa volta há uma galeria de espectadores que já correram e alcançaram a meta. Eles fazem uma forte torcida para que nós também sejamos vitoriosos na jornada. O alvo é Jesus, Autor e Consumador da nossa fé.

Imagine que você entrou na pista para correr. Quem são os seus torcedores? Abel, Enoque, Noé, Abraão, Samuel, Moisés, Pedro, Paulo… Uma multidão de vencedores, a galeria dos “heróis da fé.” A história de cada um deles é uma forma de torcida. Você olhará para o modo como venceram e será encorajado a prosseguir até à vitória final.

carreira3

Uma corrida tem três fases: Largada, Percurso e Chegada. É importante conhecer bem o que encontrará no caminho e como prosseguir até alcançar o prêmio da vitória, que Paulo chama “coroa da justiça.” Entrar na corrida é vital. Correr bem é o desafio de todo o percurso; um sagrado dever. Chegar ao destino é o supremo alvo, que não se pode perder. Todos quantos entramos nessa corrida queremos chegar ao fim e dizer coro com o Apóstolo:

“Combati o bom combate, terminei a corrida, guardei a fé. Agora me está reservada a coroa da justiça, que o Senhor, justo Juiz, me dará naquele dia; e não somente a mim, mas também a todos os que amam a sua vinda” (2 Timóteo 4:7,8).

A largada é o lugar de onde o corredor parte. O mesmo acontece na corrida cristã.

Há um ponto de partida: o lugar do encontro com Cristo.

Sua entrada na corrida cristã passa por um dia de decisão. Um momento de uma escolha com consequências eternas. Exige, portanto, uma séria parada para reflexão.

Um dia Deus chegou ao Jardim do Éden e perguntou ao homem: “Adão, onde estás?”

Ele havia acabado de fazer uma escolha desastrosa. Rejeitara seguir o caminho da vida, da comunhão com o seu Criador, e seguira a voz do tentador. Escolhera o caminho da morte. A trilha da solidão de Deus. Uma existência independente do seu Pai Deus, a razão da sua própria existência.

Resultado? O vazio se apoderara da sua alma e a culpa cravara garras prisioneiras em seu coração. Adão se vira, de repente, mergulhado no medo, na culpa, no pecado que a própria escolha produzira. Tornara-se fugitivo do Criador.

Ouvindo a costumeira voz de Deus no Jardim, em vez de correr ao Seu encontro, como dantes, correu para um falso esconderijo. A mesma voz que outrora fazia saltar o coração de alegria, desta vez lhe causava pânico e terror.

“Adão, onde estás?” Num estado de morte espiritual; distante, moral e espiritualmente, do Criador.

“Onde estás?” Esta é a voz de Deus ecoando em cada ouvido e esperando uma resposta. Onde estás em relação ao teu Criador? Este é teu momento de parada; de reflexão; de escolha; de decisão.

Só há duas escolhas: Ouvir e obedecer à voz do Criador ou a do Tentador.

Só há dois caminhos: Vida e morte.

Só há dois destinos: Céu e inferno.

Só há dois estados: Pecaminosidade e santidade.

Só há dois reinos: Luz e trevas.

Só há dois senhores: Deus e Satanás.

Só há UM SALVADOR: JESUS CRISTO, o Filho do Deus vivo.

“Onde estás?” ó homem, que vagueias em teu caminho, esquecido do teu Deus? Que mergulhas nos prazeres do pecado, da carne e do mundo, como se não tivesses que prestar contas da tua vida ao teu Criador? Tu, que crês que Deus existe, mas vives como se Ele fosse apenas uma idéia, responde para ti mesmo: “Onde estou?”

Porque Adão e Eva, nossos primeiros pais, escolheram rejeitar a Deus, foram corrompidos em sua natureza. Adquiriram a do vil tentador, ao perderam a glória do amoroso Pai. Foram marcados pelo orgulho e a rebelião. Consequência? Com eles caiu toda a raça humana, que se corrompeu na própria natureza.

Há no Universo uma lei inalterável: Cada semente produz de acordo com a sua espécie. Logo, os filhos de Adão e Eva já nascem com a natureza dos primeiros pais. Isso quer dizer que todos nascemos como membros do reino de Satanás: pecadores, perdidos, nas trevas, longe de Deus e destinados ao inferno. Entramos no mundo num estado oposto ao de Adão, quando Deus o criou: santo, puro, perfeito e bom, refletindo a Sua glória e vivendo em comunhão com Ele.

carreira4

Apesar desse quadro amedrontador, há uma luz no fundo do túnel. Deus deu um privilégio extraordinário a Adão, que é extensivo a todos os homens: A CAPACIDADE E A CHANCE DE ESCOLHER.

Podemos confirmar ou rejeitar o estado e posição nos quais nascemos. Adão rejeitou seu estado de santidade e posição de filho de Deus, para tornar-se pecador e filho do diabo. Porém, ao reverso, nós hoje podemos rejeitar esse estado maldito de pecaminosidade, orgulho e rebelião contra Deus, que herdamos dos nossos pais, e escolher o caminho de volta para Deus. Como? Pelo arrependimento dos nossos pecados e entrega da nossa vida ao Criador, através do Seu Filho Jesus Cristo, que veio nos reconciliar com o Pai.

Podemos rejeitar a posição de filhos do diabo, das trevas, da desobediência e da perdição. Como? Entronizando a Jesus Cristo em nossa vida, como único Senhor e Salvador. E Ele, pela obra do Espírito Santo, mudará a nossa natureza, e seremos convertidos em filhos do Deus vivo. Então seremos participantes, outra vez, da Sua glória. Este é o milagre do novo nascimento — a recriação ou regeneração do nosso espírito degenerado.

carreira5

Tal escolha abre a porta de entrada para o Reino de Deus. Nela eu me encontro com a Cruz, que separa o meu passado do meu futuro. Ninguém passa pela porta levianamente ou de forma imperceptível. Antes de eu entrar, tenho que parar ao pé da Cruz e encontrar-me com Aquele que desceu do Céu para salvar a minha vida perdida. Contemplando-a, deparo-me com a mais gloriosa de todas as revelações:

O meu Criador me amou ao ponto de vir ao mundo identificado com a minha humanidade, só para me alcançar. Vejo na cruz um homem! Mas na realidade Ele é Deus. Veio a mim como Filho do Homem a fim de abrir o caminho para que eu me converta em filho de Deus.

O meu Criador tornou-se meu Redentor ao receber sobre Si o castigo que a minha culpa merece: a pior de todas as mortes, a morte de cruz. Aquela cruz era minha. Aquela condenação e morte eram somente minhas. Eu era o culpado. Ele morre a minha morte, para que eu viva a Sua vida. Nele a minha dívida é paga para que eu seja livre. Ele sofre o meu castigo, para que eu seja perdoado. Ele se faz maldição para que eu seja abençoado!

Dou-me conta de que foi o meu próprio pecado, minha rebelião, com todas as suas maléficas consequências, que cravaram Jesus naquela cruz. Todo meu ser é tomado por um reverente temor! Provo um misto de arrependimento e gratidão, ao contrastar meu pecado com Seu tão grande amor!

O que fazer? Não há caminho de volta. Rejeito o pecado, o mundo e o diabo e me atiro aos pés do meu Salvador, rendendo-lhe minha vida. Abomino o pecado e tudo que me liga ao passado de trevas no reino de Satanás. É meu sagrado momento de escolha. Meu destino eterno é aqui selado. Rompo definitivamente com meu passado pecador. Escolho a vida, a luz, o caminho da humildade, da obediência e da eterna comunhão com meu Deus, meu Criador e Redentor. Prostro-me, rendido, sem reservas, aos Seus pés, clamando: “Meu Senhor e meu Deus!”

Ao levantar-me, encontro-me com o mais puro e sublime olhar que me cativa, me prende, me envolve e me maravilha com Seu indescritível amor.

Deparo-me com o olhar do meu Redentor, que se apodera de todo o meu ser, e atrai-me para Seu próprio coração. Quero que o tempo pare! Que a eternidade comece aqui! Descubro agora que encontrei a razão da minha existência; tudo por que minha alma sempre suspirou. Estou diante de minha origem; meu destino; minha vida! Por Ele, para Ele e por meio dEle existo. O que mais quero? Meu Cristo, e Ele somente.

Percebo, admirado, que uma verdadeira metamorfose ocorreu dentro de mim. Não me reconheço! Sou uma nova criação! Todo meu ser suspira pelo Deus vivo e levanto a voz numa forma de oração:

“Como a corça suspira pelas águas correntes, assim suspira minha alma por Ti, ó Deus” (Salmo 42:1).

carreira6

Sou transportado do reino de trevas para este novo Reino de amor e luz. Não tenho explicação para o que está acontecendo, mas passo para o outro lado. É o início de minha jornada com Cristo, em completa novidade de vida.

Contudo, acordo para a realidade de que ainda estou no mundo. E, diga-se de passagem, um mundo hostil a tudo que acabei de experimentar.

O Reino de Deus entrou em meu coração, mas ainda moro na terra. Descubro também que a minha própria carne teima em querer seguir os velhos hábitos pecaminosos. Conscientizo-me de que apenas passei pela porta.

Há um longo caminho a percorrer.

Uma batalha a vencer.

Uma corrida rumo ao Alvo Supremo: Meu Cristo! Ele, que foi a minha porta de entrada, é também o meu destino final.

O mesmo olhar que encontrei ao pé da cruz, me guiará por toda a caminhada e será minha motivação de cada dia, até que chegue ao meu destino – Ele mesmo – ao me receber em Sua Casa, que será a minha casa.

Para chegar ao destino, preciso aprender as leis do novo Reino, seus valores e princípios. Preciso descobrir a forma de me conduzir como cidadão do Reino dos Céus. Quais são os meus deveres? Meus privilégios? Quais as armas para vencer os inimigos do caminho? Como manter-me firme em minha corrida até alcançar o prêmio? Como me relacionar com o meu Senhor? Como conhecê-lo cada vez mais? Como servi-lO, amá-lO e adorá-lO de forma adequada? Como garantir que ao fim da minha vida eu O encontre de braços abertos a receber-me em Sua casa e ouça sua voz: “Entra no gozo do teu Senhor”? Como posso me conduzir de tal modo que no fim da corrida torne minhas as palavras de Paulo:

“O combate desesperado, cansativo, agonizante, marcado por sua beleza de técnica, eu como um lutador combati até ao fim e no presente descanso em sua vitória. Minha corrida, eu como corredor tenho completado e no momento descanso no seu alvo. A fé confiada ao meu cuidado, eu como um soldado guardei em segurança através de uma constante vigilância e a tenho entregue novamente ao meu Capitão” (2 Timóteo 4:7 ).

carreira7

Pelo imperativo de oferecer resposta às perguntas levantadas e tantas outras, a Igreja oferece um programa de ensino e treinamento nas diversas fases do percurso da corrida cristã.

Apresentamos aqui o programa para os seus seis primeiros meses de Vida com Cristo.

1.     BEM-VINDO À FAMÍLIA DE DEUS

O primeiro material que você recebe é um pequeno livro chamado “Bem-vindo à Família de Deus.” Nele você tem as primeiras instruções para iniciar sua jornada cristã. No fim do livrinho se encontra a primeira carta do Apóstolo João. Ela é um tesouro que revela verdades eternas sobre a nova vida com Cristo. Sua primeira tarefa é ler a pequena carta uma vez por dia, durante sete dias.

2.     CONSTRUINDO X DESTRUINDO RELACIONAMENTOS

O segundo material escrito para ajudá-lo na corrida cristã é um livro sobre relacionamentos. Seus temas são quase inteiramente baseados na primeira carta do Apóstolo João. Fala dos novos relacionamentos que você passa a construir quando começa sua vida com Cristo. Depois fala sobre como destruir os antigos relacionamentos que marcaram sua vida sem Deus. O material é dividido em duas partes:

A primeira parte é intitulada CONSTRUINDO NOVOS RELACIONAMENTOS, e aborda:

    1. A Importância dos Relacionamentos
    2. Relacionamento com Deus Através do Arrependimento
    3. Relacionamento com Deus pela Confissão
    4. Relacionamento com Deus como Filho
    5. Relacionamento com Deus pela Comunhão
    6. Relacionamento com Deus pela Oração
    7. Relacionamento com a Família de Deus

A segunda parte é intitulada DESTRUINDO VELHOS RELACIONAMENTOS, e aborda:

    1. Destruindo Velhos Relacionamentos
    2. Destruindo o Relacionamento com o Mundo
    3. Destruindo o Relacionamento com a Carne
    4. Destruindo o Relacionamento com o Diabo
    5. Destruindo o Relacionamento com o Pecado

Construindo X Destruindo Relacionamentos é um material de leitura e exercícios espirituais para o novo discípulo. As unidades são destinadas à leitura pessoal, uma por semana. O propósito é dar-lhe ferramentas para estabelecer um sólido fundamento no início da sua vida cristã, na formação de hábitos saudáveis, como:

Leitura devocional e estudo da Palavra de Deus;
Memorização das Escrituras;
Disciplina de uma vida devocional, desenvolvendo a habilidade de ouvir a voz de Deus.

Você será acompanhado por um “irmão mais velho“, uma vez por semana. Ele verificará o cumprimento das tarefas de cada unidade. Mas ele não é um professor e sim um irmão que já andou um pouco mais na caminhada cristã. Seu papel é auxiliá-lo(a) na formação de hábitos de disciplinas espirituais, servindo de amigo(a) e companheiro(a) nesse início de vida cristã, durante os primeiros quatro meses. Este é o tempo durante o qual o material deste livro deverá ser assimilado. Durará entre 12 e 15 semanas.

3.     INTEGRAÇÃO NUMA CÉLULA

A Igreja cristã nasceu e se desenvolveu em dois ambientes: No templo e nas casas (Atos 5:42). Reunindo-se, portanto, em grupos pequenos, na intimidade do lar, da escola ou do trabalho, e em grande ajuntamento de todos os discípulos, no Templo. Adotamos este modelo por ser bíblico e, portanto, o melhor para a formação dos discípulos. Portanto, você é convidado a ser membro de uma célula, isto é, um grupo pequeno, que se reúne semanalmente, sob a direção de um “líder de célula.” Ele será seu líder direto.

O líder da célula indicará um dos seus membros para acompanhá-lo(a) pelos próximos quatro a seis meses. Será como um irmão mais velho, que oferecerá a você relacionamento e comunhão, a fim de que o ajude a firmar os passos no início da sua corrida cristã.  Ele (ela) o(a) acompanhará no estudo de “Construindo x Destruindo Relacionamentos.”

4.     CLASSE DE DISCIPULADO PASTORAL

Para além do encontro semanal da Célula, você terá a oportunidade de estudar na “Classe de Discipulado Pastoral,” por sete meses. Ela se reúne uma vez por semana, no templo. Um dos pastores principais é o seu professor. Nessa classe você aprenderá as doutrinas básicas da fé cristã e será preparado para tornar-se um discípulo-membro de pleno direito da Igreja de Cristo.

Pedro nos aconselha: “Estejam sempre preparados para responder a qualquer pessoa que lhes pedir a razão da esperança que há em vocês” (1 Pedro 3:15). Precisamos saber em Quem cremos e porque cremos. Jesus nos chamou a ser discípulos, isto é, alunos, estudantes, seguidores. Portanto, a Classe de Discipulado Pastoral tem o objetivo de ensinar as verdades básicas da fé cristã. Os temas centrais a serem estudados são:

(1)    Quem é Deus

(2)    O Deus Criador

(3)    O Homem

(4)    O Homem e a Queda

(5)    A Estratégia da Tentação

(6)    A Semente de Deus

(7)    O Significado da Cruz

(8)    A Troca do Calvário

(9)    Arrependimento e Fé

(10) Novo Nascimento

(11) A Salvação do Crente

(12) A Ordenança do Batismo

(13) A Ceia do Senhor

(14) A Igreja de Jesus Cristo

(15) A Bênção da Plenitude do Espírito Santo

(16) A oração

(17) A “Hora Bendita”

(18) As Sagradas Escrituras

(19) A Bênção do Dar

(20) Casamento e Divórcio

(21) A Missão do Discípulo

(22) Frutificação, Multiplicação e Liderança

(23) A Segunda Vinda de Cristo

(24) Relacionamentos de Aliança

(25) Aliança com a Igreja

(26) Visão da INSEJEC

carreira8

EM SUA CASA, individualmente, através de um “irmão mais velho,” que o acompanhará no programa do “Construindo Novos Relacionamentos e Destruindo Velhos Relacionamentos.

NA CÉLULA, através de um pequeno grupo, em uma atmosfera familiar. Ali você é assistido por um líder, que é o seu discipulador. Além de desenvolver novos relacionamentos, terá uma atmosfera para levar seus amigos e familiares que precisam conhecer a Cristo. Você terá um ambiente apropriado para cumprir missão de Jesus de “buscar e salvar o perdido” (Lucas 19:10).

NO TEMPLO, ATRAVÉS DO PASTOR, que lhe dará um ensino sólido das Escrituras Sagradas, para o seu crescimento sadio na vida cristã. Também receberá ministração de alguém ungido por Deus para ser sua cobertura espiritual.

carreira9

ENCONTRO COM DEUS: Logo após a decisão, seguir os passos da Visão Celular:

1. Pré-Encontro – Sete Semanas

          Livro Texto: Pré-Encontro de César Castellanos

2. Encontro – Fim de semana

3. Pós – Encontro – Sete Semanas

          Livro Texto: Construindo X Destruindo Relacionamentos de Valnice Milhomens (segunda parte)

  BATISMO NAS ÁGUAS

Após o Encontro, preferencialmente e Pós-Encontro, estudar as lições 12, 13, 14, 24 e 25 do Discipulado Pastoral.

                  Preencher a ficha de batismo

                  Ser entrevistado por um dos pastores

                  Tomar conhecimento do compromisso a ser assinado

carreira10

  CAPACITAÇÃO DESTINO – Formação como Líder de Célula.

Nela você será treinado para cumprir o seu chamado de fazer discípulos. Será equipado para o cumprimento da Grande Comissão: “Portanto, vão e façam discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, ensinando-os a obedecer a tudo o que eu lhes ordenei. E eu estarei sempre com vocês, até o fim dos tempos” (Mateus 28:19,20).

  ESCOLA DE FORMAÇÃO

Propósito: Que você cresça a cada dia na semelhança de Jesus, conforme Paulo declara:

“E todos nós, com o rosto descoberto, porque continuamos a contemplar [na Palavra de Deus] como em um espelho a glória do Senhor, estamos constantemente sendo transfigurados na sua verdadeira imagem, num sempre crescente esplendor, e de um degrau de glória a outro [pois isto vem] do Senhor [que é] o Espírito” (2 Coríntios 3:18- V. Amp.)

Nossa definição do que é ser um cristão é muito simples: É ser a reprodução de Jesus Cristo, em Seu caráter e em Sua missão. Isto é, no ser e no fazer.

A Escola de Formação busca formar o caráter de Cristo no discípulo.

A Escola Capacitação Destino busca treinar o discípulo para o cumprimento da missão.

carreira11

“Ser uma comunidade de adoradores de Yahweh, comprometida com a busca e salvação do perdido, para fazer dele um discípulo de Jesus Cristo.”