#100dias – 92 – Qual a nossa responsabilidade?

#100dias – 92 – Qual a nossa responsabilidade?

Postado por em abr 21, 2014 no 100 dias - Plenitude da Unção, Blog

#100dias – 92 – Qual a nossa responsabilidade?

#100DiasDeJejumEOração

DIA 92 (22.04) – O FRUTO DO ESPÍRITO SANTO NO CRENTE (45)

DOMÍNIO PRÓPRIO(egkrateia) (3)

 “Mas o fruto do Espírito é … Domínio próprio (Gálatas 5:23).

Tendo analisado a dificuldade de exercermos o domínio próprio e o fato de que em Cristo isto se tornou uma gloriosa possiblidade pela obra do Espírito Santo em nós, surge a pergunta: Qual é a nossa responsabilidade?

Primeiro, crer na Palavra de Deus, que é por Sua graça. Nosso velho homem do pecado certamente foi crucificado com Cristo (Romanos 6:6). Do ponto de vista de Deus, já crucificamos a carne com suas paixões e desejos (Gálatas 5:24). Deus nos fortalece por Seu Espírito no homem interior (Efésios 3:16). Com Ele podemos fazer todas as coisas de acordo a Sua vontade (Filipenses 4:13). Estas são verdades que nos infundem a determinação de viver a altura da nova criação, em Cristo, que reproduz seu caráter, chamado “fruto do Espírito.”

Segundo, com tal fé, devemos continuar com o processo iniciado em nossa crucificação:

  • Mortificando os desejos do corpo (Romanos 8:13);
  • Mortificando nossos membros terrenos (Colossenses 3:5,8-9);
  • Revestindo-nos do novo homem, lembrando que este é um processo que começou quando nos revestimos de Cristo (Gálatas 3:27);
  • Compreendendo que este é um processo que continua enquanto crescemos diariamente (Colossenses 3:10-14);
  • Mas recordando-nos de que não estamos sozinhos e que Deus está operando também em nós tanto a disposição interior quanto a ação de viver em linha com Sua vontade, que inclui a produção do Fruto do Espírito! (Filipenses 2:13).
  • Dispondo-nos a trabalhar como se tudo dependesse de nós (Filipenses 2:12b);

ASPECTOS A CULTIVAR NO DOMÍNIO PRÓPRIO

DOMÍNIO DOS APETITES

Apetites são desejos produzidos pela natureza física; os desejos do corpo, tais como de alimento, bebida, sexo, companheirismo, existência, conservação, etc. Eles são naturais e essenciais para o bem-estar e existência do corpo. Todos os seres da criação, tanto os animais como o homem, têm estes instintos. Deus os colocou para a preservação e propagação da vida. São normais, bons e corretos. Nossa luta está em mantê-los nos limites estabelecidos por Deus. Muitos sofreram tantos fracassos nesta luta que chegaram à conclusão de que alguns deles são até pecaminosos. Mas não o são. São perfeitamente normais. Todavia, têm que ser controlados, disciplinados e sujeitos em seu estado natural ou normal. O excesso converte em más todas as coisas boas. Todo extremismo é gerador de muitos danos.

Todos os seres criados por Deus têm desejos de alimento, bebida, reprodução e preservação. A natureza física requer estas coisas, porque sem elas a vida não teria significado. Os animais jamais os desprezam ou os ignoram, mas raramente excedem seus limites. O homem, contudo, com inteligência e livre-arbítrio, o ser mais elevado da criação, que deveria compreender perfeitamente o valor real destes desejos, tende a dois extremos: ou os ignora, ou lhes dá uma importância excessiva.

Estes instintos governam ou escravizam a muitos seres humanos. Só vivem para comer, beber, drogar-se ou para seus desejos carnais. A paixão por obter estas coisas os leva a trabalhar, lutar, esforçar-se; e inclusive os pode conduzir ao delito. Muitos utilizam mais energia, tempo e dinheiro em satisfazer estes apetites, do que em satisfazer seus desejos intelectuais e espirituais.

O domínio próprio ou moderação nos obriga a respeitar estes apetites porque são postos por Deus e necessários para a vida, assim como a mantê-los dentro dos seus limites estabelecidos pelo nosso Criador, a quem temos de conta do seu uso.

DOMÍNIO DO CORPO

O corpo é a habitação do homem na Terra. Mas, além disso, para o crente regenerado, é o templo do Espírito Santo. O corpo é a principal ferramenta para todas as suas atividades. Tudo o que se faz ou realiza é com o corpo ou por meio do corpo. Nele está a mente, a qual estabelece os planos e envia ordens para sua execução.

Em todas as épocas da história existem pessoas que desprezam o corpo e o submetem a vergonhoso tratamento, isto é, corrupto e pecaminoso. Outras descuidam do seu corpo por ignorância, não sabendo que esta delicada máquina precisa um esmerado cuidado. Até existem os que torturam seus próprios corpos para conformá-los a algum modelo de beleza, ou para purificar-se ou aperfeiçoar-se, cumprindo estranhos ritos religiosos.

Hoje, com os notáveis avanços da ciência, quase todos os homens conhecem normas de higiene. As crianças, desde pequenas, são ensinadas a como cuidar de seus corpos. Entretanto, a indiferença e o descuido são ainda muito comuns.

EXEMPLOS:

  • É necessário alimentar bem o corpo, para sua preservação; mas não em demasia e de forma errada. Quando se come demais, cai-se no pecado da gulodice ou glutonaria.
  • A água é imprescindível para se beber; mas o que toma bebidas que embriagam debilitam os nervos e entorpecem o raciocínio, e está destruindo a si mesmo.
  • Necessitamos por volta de oito horas diárias para descansar, com o fim de repor energias, mas o que dorme demais entra no prejudicial hábito da preguiça ou ociosidade.

A MENTE, E NÃO O INSTINTO, DEVE GOVERNAR O CORPO.

O navio é guiado pelo timoneiro, o qual dirige a seu gosto todos os movimentos do barco. Assim também nossa mente deve dirigir todo nosso corpo. Quão importante é ter uma mente consagrada a Cristo! “Nós, porém, temos a mente de Cristo” (1 Coríntios 2:16).

Os animais são governados por seus instintos; comem e bebem para sua satisfação e, em geral, sem se excederem. Mas o homem, senhor da criação, tem uma constituição diferente. Ele tem que pensar a respeito de sua comida ou bebida. Sabe como não deve deixar-se dominar por seus apetites, mas que estes devem ser governados, disciplinados e dirigidos pela inteligência. O corpo deve ser nosso servo, não nosso patrão. Ele é totalmente do Senhor. Deve ser guardado irrepreensível: E o próprio Deus de paz vos santifique completamente; e o vosso espírito, e alma e corpo sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo (1 Tessalonicenses 5:23).

Vivemos hoje em uma das épocas mais corruptas na história da humanidade. Jesus disse que como nos dias da Sodoma e Gomorra, assim seria nos dias da Vinda do Filho do Homem. Os pecados sexuais estão naufragando muitas pessoas no fracasso e na tristeza e destruindo lares e levando casamentos ao divórcio com as trágicas consequências que tudo isso acarreta.

As relações sexuais são boas e corretas dentro do matrimônio; mas praticá-las antes ou fora do casamento são pecaminosas, produzem funestas consequências, e ao final levam à perdição eterna.

O crente disciplinado, que controla seus apetites físicos, sempre é o que leva o prêmio na carreira cristã. É necessário lutar intensamente contra os “desejos carnais que batalham contra a alma” (1 Pedro 2:11).

ORAÇÃO

Pai, dependendo da Tua graça, exerço domínio sobre meu próprio corpo com seus desejos carnais. Graças pela obra do Teu Espírito em mim, recriando meu espírito, para que me conforme com Tua vontade e não a da carne. Graças porque através dEle a mente de Cristo é residente em mim, e posso agir de acordo com ela e não com os ditames dos próprios instintos. Que a vida de Cristo seja aprofundada em meu ser pela obra do Teu Espírito residente em mim. Amém!

    1 Comentário

  1. A Paz do Senhor!

    Por favor seria possível encaminhar esse e-mail para a Ap. Valnice?
    “Shalom Ap. Valnice!
    Vou ser bem objetiva. Tenho fome e sede de Deus. Ele tem me resgatado de um lugar de apatia espiritual e tem me feito conhecer uma gota do oceano do seu poder. Eu quero ser treinada para conhecer mais o mundo espiritual. Por favor, ore pela minha vida e se Deus falar contigo eis-me aqui!
    Abs

Post a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *