#100dias – 93 – Domínio dos desejos, pensamentos e imaginação

#100dias – 93 – Domínio dos desejos, pensamentos e imaginação

Postado por em abr 22, 2014 no 100 dias - Plenitude da Unção, Blog

#100dias – 93 – Domínio dos desejos, pensamentos e imaginação

#100DiasDeJejumEOração

DIA 93 (23.04) – O FRUTO DO ESPÍRITO SANTO NO CRENTE (46)

DOMÍNIO PRÓPRIO(egkrateia) (4)

 “Mas o fruto do Espírito é … Domínio próprio (Gálatas 5:23).

A qualidade do “Fruto do Espírito” chamada “domínio próprio” abrange todas as áreas na nossa vida. Consideraremos algumas:

DOMÍNIO DOS DESEJOS EGOÍSTAS

O egoísmo é um intenso desejo de possuir alguma coisa, ou de fazer algo que redunde em benefício próprio. Este desejo é pessoal, e se sobrepõe a toda consideração aos outros. A cobiça ou ambição deseja ter honras e lucros. Quando exagerada pode levar ao desastre, vergonha e ruína. Foi a cobiça que levou Lúcifer a querer ocupar o trono de Deus.

Desejar ter ou possuir algo é uma coisa correta e legítima, mas não deve ser a única consideração. Quando nos esquecemos dos outros e só pensamos em nós mesmos, transformamo-nos em seres mesquinhos. O cristão é chamado a matar esse tipo de deseje pelo exercício do domínio próprio.

DOMÍNIO DAS EMOÇÕES

Somos seres emocionais. Todos possuímos os mais diversos sentimentos, como gozo, tristeza, medo, ódio e amor. Há dois extremos no lidar com as emoções: Uns dão vazão aos seus sentimentos sem qualquer freio, considerando que qualquer forma de autocontrole seria repressão. Outros reprimem toda manifestação de emoções por julgarem que a sua demonstração é sinal de fraqueza. Qualquer desses dois extremos não passa de engano. Todos os sentimentos têm que ser administrados e regulados. O estoico precisa cultivar suas emoções e o muito emotivo precisa discipliná-las.

EXEMPLOS:

A mais elevada das emoções é o amor. Mas o amor deve ser regulado pelo bom julgamento. Se não se controla, pode transformar-se em paixão, e a paixão é irracional, não pensa, não calcula, não raciocina; deixa-se levar pelo impulso.

A indignação é uma emoção correta dentro de seus limites. Podemos nos indignar contra o pecado, a corrupção, as injustiças; mas quando se lhe dá rédea solta, pode se transformar em ira, a ira em fúria, e a fúria em ódio cego e desenfreado. Não devemos permitir que “o sol se ponha sobre a nossa ira.” É preciso odiar e rechaçar ao pecado, mas não aos pecadores.

O Senhor nos manda amar a nossos inimigos e fazer-lhes o bem. A razão deste comando é que se nos deixássemos dominar pelas paixões, o mundo se converteria em um inferno, e o coração do homem se encheria de veneno mortal. Quem se submete ao Espírito Santo chega a ser uma fonte de amor, paz e compreensão. Suas emoções estarão dirigidas por um poder superior, e serão vínculos de comunhão e fraternidade.

DOMÍNIO SOBRE OS PENSAMENTOS E PALAVRAS

A mente é um verdadeiro campo de batalha. O inimigo com frequência ali penetra para semear maus pensamentos. Como vencê-los? Como conseguir expulsá-los? Fazendo o que é bom e agradável diante do Senhor. Quando os maus pensamentos nos assaltarem:

  • Devotemo-nos a ler a Bíblia ou um bom livro cristão;
  • Confessemos a Palavra de Deus, fazendo proclamações de versículos que se ajustam à necessidade do momento;
  • Busquemos a Deus em oração;
  • ajoelhemo-nos e abramos o coração para que o céu nos inunde;
  • façamos um ato de bondade, como visitar um doente ou um preso;
  • ou simplesmente comecemos a cantar louvores a Deus. Deus habita no meio dos louvores do Seu povo.” O louvor faz o diabo fugir.

Há pessoas que acreditam que não são responsáveis por seus pensamentos. Mas isto é um engano fatal. O que somos é o resultado de nossos pensamentos. Se não os dominarmos eles nos causarão muitos problemas, já que ele e os desejos estão intimamente unidos. Os pensamentos produzem palavras, as palavras geram ações; e as formam hábitos.

Um pensamento entretido na mente desperta o desejo de satisfazê-lo. Dominemos nossos pensamentos! Se permitirmos que os maus pensamentos nos escravizem, teremos entrado na rota do fracasso. A paz fugirá do coração, a felicidade não passará de sonho e o produto final serão dores e desilusões.

DOMÍNIO SOBRE A IMAGINAÇÃO

A imaginação é a representação ideal de coisas reais ou imaginárias. Algumas pessoas têm pouca imaginação, enquanto outras abundam nela, chegando a viver em um mundo irreal e fantasioso. Neste campo temos temores e esperanças imaginários. Os temores imaginários destroem a paz interior, provocam ansiedade, prejudicando e debilitando até mesmo o organismo.

Grande parte da miséria humana não vem como resultado dos problemas do momento; são frutos de sua imaginação. Não há preocupações que possam torturar tanto a mente ou desgastar mais os nervos que as preocupações imaginadas. Isto implica que as queixas, moléstias e perturbações são da própria invenção da mente e somente podem ser anuladas por uma mudança de atitude e por uma transformação decisiva do pensamento. É aqui que o “autocontrole” pode ser o instrumento de vitória.

Alguém disse que “a preocupação é como um ancião encurvado sob uma carga de penas que ele imagina ser de chumbo”. O temor natural é benéfico; todos os animais sentem temor. O temor avisa da proximidade do perigo e lhes obriga a procurar refúgio. Mas o espírito medroso é uma calamidade, uma maquinação infernal, que rouba a paz e faz com que a vida seja uma verdadeira tortura.

O medo tira a iniciativa, apaga o entusiasmo e é a sala de espera da derrota. Coloquemos isto em nosso coração: O Senhor “não nos deu o espírito de medo, mas de poder, de amor e de moderação” (2 Timóteo 1:7). O domínio próprio nos ajuda a vencer toda classe de medo, pois temos uma rocha firme em quem confiar, Cristo, nosso supremo Pastor, que sempre cuidará de nós. O Consolador, o Espírito Santo, estará conosco todos os dias de nossa vida.

O que dizer de esperanças imaginárias? Outro desastre, porque não passam de “castelos de areia.” Toda boa esperança deve ter seu fundamento na razão e na Palavra de Deus. Existem cristãos que vivem em um mundo ideal de fantasias e quimeras. Estão pensando em lucros e conquistas que não têm fundamento nas Sagradas Escrituras. Vivem de sonhos e ilusões, fabricando constantemente castelos no ar, no meio de um permanente misticismo. Sua Imaginação voa solta dominada por pensamentos irreais. O domínio próprio é um imperativo para tal tipo de imaginação, pois os pensamentos que devem ocupar nossa mente são os que estão em linha com a Palavra de Deus (Filipenses 4:8).

ORAÇÃO

Pai, venho hoje expor ao domínio do Teu Espírito meus desejos, emoções, pensamentos, palavras e imaginação a fim de que tudo se alinhe ao que é agradável diante de Ti. Que nenhuma dessas forças flua solta, sem rédeas nem critérios. Submeto-as ao controle absoluto do Teu Espírito, que me habilita a ter domínio sobre o mundo dos meus pensamentos, sentimentos e decisões, trazendo, assim, glória ao Teu Nome. Amém!


Post a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *