#100dias – 95 – Unção X Identidade

#100dias – 95 – Unção X Identidade

Postado por em abr 24, 2014 no 100 dias - Plenitude da Unção, Blog

#100dias – 95 – Unção X Identidade

#100DiasDeJejumEOração

DIA 95 (25.04) – UNÇÃO X IDENTIDADE (1)

Estamos na contagem regressiva para a Convenção Anual é “A Plenitude da Unção.” Devotamos 100 dias de jejum e oração, temo como devocional temas centrados na Pessoa do Espírito Santo. Introduzimos aqui algumas reflexões extraídas do livro de nossa autoria “Unção e Crise de Identidade”, que pode ser adquirido através de www.palavradafe.com.br.

A UNÇÃO

Fala-se muito hoje sobre unção. Expressões como “pregador ungido”, “culto ungido”, “unção liberada”, “é a unção que quebra o jugo”, “unção de cura”, tornaram-se comuns em nossa linguagem. Mas o que vem a ser a unção?

A UNÇÃO NO ANTIGO TESTAMENTO

Ungir, primariamente, significa untar com óleo ou unguento. No Antigo Testamento, encontramos a unção usada para conferir autoridade, estabelecer numa posição. Figurativamente, ungir com óleo era um símbolo de capacitação do Espírito de Deus para a execução dos deveres de um ofício, para a qual alguém era consagrado.

Três classes de pessoas no Antigo Testamento recebiam a unção com óleo: o Rei (1 Samuel 24:6); o Profeta (1 Reis 19:16) e o Sacerdote (Êxodo 30:30). Juntamente com a unção, vinha o Espírito Santo sobre eles, capacitando-os para o exercício de suas funções.

A UNÇÃO NO NOVO TESTAMENTO

No Novo Testamento, a unção com óleo é usada para o enfermo, enquanto a unção para o serviço é conferida pelo Espírito Santo, sem a necessidade de qualquer símbolo físico.

A figura central é Jesus, o Messias (Ungido), sobre quem o Espírito desce em forma de pomba, na inauguração do Seu ministério público. Jesus é referido como o “Ungido de Deus.” O próprio termo Cristo, é a tradução grega da palavra hebraica que significa “ungido”.

Ele mesmo declara: “O Espírito do Senhor está sobre mim, pelo que me ungiu…” (Lucas 4:18).

O apóstolo Pedro testifica: Deus ungiu a Jesus de Nazaré com o Espírito Santo e com poder, o qual andou por toda parte, fazendo o bem e curando a todos os oprimidos do diabo, porque Deus era com ele” (Atos 10:38).

Jesus transporta em Si as três unções do Antigo Testamento: Ele é Profeta, Sacerdote e Rei. O Espírito está sobre Ele, sem medida. João Batista disso dá testemunho (João 1:33-34).

REALIDADES ESPIRITUAIS DA UNÇÃO

O cerimonial da unção transmite algumas verdades espirituais que devemos considerar:

  • A unção é um elemento divino de separação de alguém, para uma determinada missão.
  • A unção transmite a habilidade divina para o cumprimento da missão confiada.
  • A unção traz um elemento de mudança de posição e de qualidade do ser.

DEFININDO A UNÇÃO

No que concerne ao ofício, poderíamos dizer que a unção é o ato de Deus separar uma pessoa para uma determinada função, investindo-a de autoridade para ocupar a posição, e habilitando-a para seu exercício. A unção, portanto, fala de posição, habilidade e identidade. Deus investe, capacita e transforma.

Quando uma pessoa era ungida, a primeira consequência era a mudança de identidade. Ela deixava de ser o que era, a fim de se tornar aquilo para o que estava sendo ungida: Profeta, Sacerdote ou Rei.

Em segundo lugar, vinha a habilidade divina sobre ela, para a execução da tarefa.

O AGENTE DA UNÇÃO

Antes que Jesus consumasse Sua obra de redenção na cruz do Calvário, Ele fez uma assombrosa promessa: “E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, a fim de que esteja para sempre convosco, o Espírito da verdade, que o mundo não pode receber, porque não vê, nem conhece; vós o conheceis, porque ele habita convosco e estará em vós” (João 14:16-17).

Que maravilhosa promessa! Na Nova Aliança todos os discípulos seriam privilegiados, recebendo o Espírito Santo, não apenas sobre eles, mas dentro deles.

Há dois incidentes após a ressurreição de Cristo (o Ungido), que ilustram as três referidas facetas da unção: Separação, habilidade e identidade.

Primeiro, no cenáculo:

“Disse-lhes, pois, Jesus outra vez: “Paz seja convosco! Assim como o Pai me enviou, eu também vos envio. E, havendo dito isto, soprou sobre eles e disse-lhes: Recebei o Espírito Santo” (João 20:21-22).

Aqui, os discípulos se tornam os primeiros da família de Deus, a serem recriados no espírito, pelo poder regenerador do Espírito Santo. Nascem de novo, são separados do mundo e ocupam uma nova posição. Assumem uma nova identidade: são feitos “filhos de Deus”.

Cinquenta dias depois, o Espírito Santo é derramado, conforme o relato de Atos dos Apóstolos, capítulo 2. “Todos ficaram cheios do Espírito”.

Esse era o cumprimento da promessa de Jesus: mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samária e até aos confins da terra” (Atos 1:8).

Agora os discípulos recebem a habilidade divina para o cumprimento da missão. O Espírito Santo é o agente da unção divina. Ele ungiu a Jesus, ungiu os apóstolos e continua a liberar Sua unção.

Se no Antigo Testamento, o óleo era o símbolo de que o Espírito Santo era derramado e vinha sobre o ungido, hoje – após a obra de redenção efetuada por Jesus – o próprio Espírito é o agente, o veículo do Pai, através do qual a unção é conferida.

A ABRANGÊNCIA DA UNÇÃO

Por causa de Cristo (o Ungido), todos os crentes da Nova Aliança são chamados a receber a unção que separa para Deus, gera uma nova identidade, em Cristo, e confere uma habilidade condizente com essa nova posição.

João assevera: “E vós possuís unção que vem do Santo, e todos tendes conhecimento” (1 João 2:20).

Se eu tenho alguma coisa, ela se torna minha 24 horas por dia! Se eu digo “Eu tenho uma Bíblia”, ela é minha propriedade. João está escrevendo para os cristãos. Que realidade tremenda!

Todos os crentes possuem a unção! E não apenas temos a unção que nos transforma em nova criação, mas ela permanece em nós, habilitando-nos a viver e a agir em conformidade com a vida de Cristo, porque Ele se torna residente no espírito de todo aquele que é regenerado pelo Espírito Santo.

Você já nasceu de novo? A unção é sua. A unção do Santo repousa sobre você! Quando Jesus Cristo se tornou o Senhor de sua vida; quando o Espírito de Deus o selou, você recebeu a unção, tornou-se propriedade do Deus Todo-Poderoso. O selo do Espírito de Deus repousou sobre você!

Naquele momento, você se tornou parte da família de Deus, recebeu um novo nome. Foi-lhe conferida uma nova identidade, foi-lhe concedida a habilidade para viver de acordo com ela. Aleluia!

ORAÇÃO

Graças Pai, por tão grande, abrangente e completa redenção. Graças pela nova identidade em Cristo. Porque me habilitas, pela obra do Teu Espírito, a viver de acordo com ela. Amém

Post a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *