#100dias – 71 – A Paciência de Cristo em nós

Postado por em mar 31, 2014 no 100 dias - Plenitude da Unção, Blog

#100dias – 71 – A Paciência de Cristo em nós

DIA 71 (01.04) – O FRUTO DO ESPÍRITO SANTO NO CRENTE (24) paciência (4) “Mas o fruto do Espírito é … Paciência (Longanimidade)” (Gálatas 5:22) Tendo visto a paciência de Deus para conosco e refletido sobre o fato de que Seu propósito é que ela se manifesta em nossas relações para como os semelhantes, concentremo-nos agora neste aspecto: A PACIÊNCIA DE CRISTO EM NÓS Se somos filhos de Deus, temos que nos portar como tais. O filho tem, necessariamente, o DNA do pai. Portanto, o fruto da Paciência deve ser algo natural no cristão. Para começar, devemos compreender que a paciência não é sinal de fraqueza, mas brota de uma posição de poder, em Deus. Podemos ter a capacidade de vingar-nos ou causar problemas ao ofensor, mas a paciência do Espírito em nós traz autocontenção e serenidade de reflexão. Perder a paciência, sim, é um sinal de fraqueza. Revela que minhas atitudes são reações emocionais provocadas por atitudes de terceiros, e não pelo fruto do Espírito desenvolvido em meu caráter. Quando o Espírito Santo produz em nós a Paciência, Ele está nos tornando mais parecidos com Cristo. Usando a expressão paulina, Cristo está sendo formado em nós. Paulo fala da “paciência de Cristo” (Tessalonicenses 3:5). Agora mesmo Ele está à direita do Pai, pacientemente, aguardando a conclusão do Seu plano em nossas vidas. Lemos: “Mas este (Jesus), havendo oferecido para sempre um único sacrifício pelos pecados, está assentado à destra de Deus, daqui em diante esperando até que os seus inimigos sejam postos por escabelo de seus pés” (Hebreus 10:12-13).  Portanto, devemos trazer em nossa própria personalidade a marca da Paciência, como Cristo é paciente. EXEMPLOS DE PACIÊNCIA Tiago exorta os crentes: “Sede pacientes até a vinda do SENHOR.” Depois destaca vários exemplos de paciência, desde o lavrador que, pacientemente, espera as chuvas, até Jó e os profetas (Tiago 5:7-11). Consideremos algumas das circunstâncias nas quais eles conservaram a paciência para com um povo que os desprezava e maltratava: Jeremias foi jogado em uma cisterna (Jeremias 38:1-16); Elias se desgastou tanto na luta com Jezabel, que queria morrer (1 Reis 19:1-8); Daniel foi atirado na cova dos leões por um rei que era seu amigo (Daniel 6:16-28); Enquanto Deus adiava o julgamento, Noé pregou por 120 anos sem ter uma única conversão (2 Pedro 2:5). A PACIÊNCIA DEMONSTRADA SOB PRESSÃO Paulo escreve: “Com toda a humildade e mansidão, com longanimidade, suportando-vos uns aos outros em amor” (Efésios 4:2). Esta deve ser a conduta do cristão diante dos seus semelhantes. Paulo declara: “E na verdade todos os que querem viver piamente em Cristo Jesus padecerão perseguições” (2 Timóteo 3:12). Porventura não é em meio a essas circunstâncias que o fruto da Paciência tem sua chance de se manifestar? Por causa da nossa fé em Cristo e vida de piedade, seremos atacados nas mais diversas áreas. Desprezados, criticados, caluniados, depreciados, perseguidos,...

Leia Mais »

#100dias – 70 – O Deus de Paciência

Postado por em mar 30, 2014 no 100 dias - Plenitude da Unção, Blog

#100dias – 70 – O Deus de Paciência

#100DiasDeJejumEOração DIA 70 (31.03) – O FRUTO DO ESPÍRITO SANTO NO CRENTE (23) paciência (3)  “Mas o fruto do Espírito é … Paciência (Longanimidade)” (Gálatas 5:22) Pensando no fruto do Espírito Santo, manifestado como Paciência ou Loganimidade, podemos destacar algumas áreas principais. A primeira delas, que começamos a ver na reflexão anterior, é a Paciência de Deus. “O DEUS DE PACIÊNCIA” O Apóstolo Paulo declara em sua carta aos Romanos: “Ora, o Deus de paciência e consolação vos conceda o mesmo sentimento uns para com os outros, segundo Cristo Jesus” (15:5). Em 2 Tessalonicenses 3:5, ele diz: “Ora, o Senhor encaminhe os vossos corações no amor de Deus e na paciência de Cristo.” Nosso Pai é um “Deus de paciência” e nosso Redentor traz em Si a marca da paciência. Conclusão? Nós, Sua extensão, devemos, igualmente, manifestar tal qualidade. Ora, se a Paciência é fruto do Espírito e Ele é o Espírito de Deus e de Cristo, e habita o crente, o que se pode esperar, senão o mesmo fruto? A Paciência é uma qualidade essencial de Deus. Quão imensa, poder-se-ia dizer infinita e incompreensível, é a Sua Paciência! Pensemos por um pouco. Sendo Ele o Senhor absoluto e Criador de todas as coisas, como pode suportar tantas atitudes ultrajantes do ser humano, sem fulminá-lo de pronto? Insultam-nO com os qualificativos mais denegridores; Negam Sua própria existência; Violam Seus mandamentos; Acusam-nO de todos os males e padecimentos que há no mundo; Voltam-lhe as coisas e semeiam o mal na terra. Poder-se-ia prosseguir enumerando muitíssimas outras atitudes de afronta e atrevimento do ser humano ao seu Criador. Porém, Ele, em Sua Paciência infinita, graça e misericórdia, estende a toda criatura debaixo do sol: A vida; O ar que respiramos; O sol, a chuva, as estações e todas as benesses da terra; Bênçãos de toda sorte, verdadeiramente imerecidas. Como disse Jesus: “Porque faz que o Seu sol se levante sobre maus e bons, e a chuva desça sobre justos e injustos” (Mateus 5:45). Tudo isto, e muito mais, deve-se à Paciência de Deus! Todos os seres humanos nos beneficiamos da Paciência do Criador. Se não fora por causa dela: Milhões de seres humanos que viveram e vivem egoisticamente não desfrutariam das belezas deste mundo; As nações tiranas, em seus atos e intenções malignas, teriam sido extirpadas; Toda a raça humana, sem exceção, teria sido varrida de sobre a face da terra, porque “todos se extraviaram, e juntamente se fizeram inúteis. Não há quem faça o bem, não há nem um só” (Romanos 3:12). Quantos são faltos de entendimento, vivendo na luxúria e desfrutando de todos os tipos de prazeres e comodidades, e consideram que tudo é fruto de seu próprio esforço, esperteza e inteligência! Acumulam tesouros e bens desta vida, alheios ao Criador e à eternidade. Desprezam a Deus ou simplesmente o ignoram, vivendo como se Ele não existisse e não...

Leia Mais »

#100dias – 69 – A Paciência de Deus

Postado por em mar 29, 2014 no 100 dias - Plenitude da Unção, Blog

#100dias – 69 – A Paciência de Deus

#100DiasDeJejumEOração DIA 69 (30.03) – O FRUTO DO ESPÍRITO SANTO NO CRENTE (22) paciência (2)  “Mas o fruto do Espírito é … Paciência (Longanimidade)” (Gálatas 5:22) A PACIÊNCIA DE DEUS A paciência ou longanimidade, como todas as expressões do Fruto do Espírito, é atributo de Deus. A Bíblia revela essa Sua marca como uma qualidade do Seu caráter que, na falta de melhor expressão,  desencoraja-O, por longo tempo, a exercer retaliação em relação àqueles que pecam contra Ele. Isto está perfeitamente em sintonia com o testemunho do Apóstolo Pedro, que conviveu de perto com Jesus e aponta para o Seu exemplo: “O qual, quando o injuriavam, não injuriava, e quando padecia não ameaçava, mas entregava-se àquele que julga justamente” (1 Pedro 2:23). TARDIO EM IRAR-SE Quando a palavra grega “makrothumia” é usada em referência a Deus, é geralmente traduzida como “longanimidade” ou “tardio em irar-se.” Barclay declarou que a maior verdade sobre esta palavra é que ela descreve o caráter do próprio Deus. Vemos isto bem evidente no diálogo entre Moisés Yahweh. Deus lhe: “Yahweh, Yahweh, Deus compassivo e misericordioso, longânimo, cheio de amor paciente e fiel” (Êxodo 34:6 – BKJ) ” …tardio em irar-se e grande em beneficência e verdade” (Fiel).  Esta contenção de Yahweh é exposta através dos Salmos: Ele é compassivo e misericordioso, lento para a ira e rico em misericórdia (Salmo 86:15; 103:8; 145:8). Interessante é notar que sua longanimidade caminha de mãos dadas com a misericórdia. Por isto Jeremias exclama: “As misericórdias de Yahweh são a causa de não sermos consumidos, porque as Suas misericórdias não têm fim; novas são cada manhã; grande é a Tua fidelidade” (Lamentações 3:23,24). EM SUA PACIÊNCIA DEUS ESTENDE O PERDÃO Neemias traz à memória este mesmo atributo em sua oração: “Porém Tu, ó Deus perdoador, clemente e misericordioso, tardio em irar-Te, e grande em beneficência, tu não os desamparaste” (Neemias 9:17). Joel garante que esta qualidade de Deus O levará a contemplar o coração arrependido: “E rasgai o vosso coração, e não as vossas vestes, e convertei-vos Yahweh vosso Deus; porque ele é misericordioso, e compassivo, e tardio em irar-se, e grande em benignidade, e se arrepende do mal” (Joel 2:13). Sendo um Deus de paciência, ou seja, lento para a cólera, Yahweh estava sempre pronto para conceder o perdão e derramar Sua graça sobre o Seu povo. O Majestoso, Onipotente Deus, graciosamente limita o seu justo furor e oferece o perdão a todo aquele que vai a Ele em arrependimento e aceita a Sua graça. É-nos difícil compreender a extensão da paciência de Yahweh. Exemplo clássico disto foi a dificuldade do profeta Jonas entender e aceitar Sua paciência e disposição de perdoar os “grandes pecadores” dos seus dias: Os ninivitas. Custou-lhe quase a própria vida aprender essa maravilhosa verdade sobre o seu Deus. O mesmo ocorre conosco. Nossa mente não concebe a extensão de Sua longanimidade. Definitivamente...

Leia Mais »

Congresso Internacional de Adoração e Intercessão

Postado por em mar 29, 2014 no Blog

Congresso Internacional de Adoração e Intercessão

Adoração e Intercessão: Diante do Trono O Congresso deste ano traz o Brasil como tema!Em 2014, o Ministério de Louvor Diante do Trono (Igreja Batista da Lagoinha – Belo Horizonte/MG) realiza seu Congresso Internacional de Adoração e Intercessão, propondo um novo formato à conferência realizada todos os anos na Capital Mineira. O Brasil será o foco das ministrações desta edição especial, que contará com a presença de preletores e ministérios de várias partes do Brasil, incluindo a Apóstola Valnice Milhomens.Confira a carta da Pastora Ezenete Rodrigues, Líder de Intercessão do ministério, falando sobre mais detalhes e estratégias de oração pela ocasião. Saiba de mais informações sobre o evento em diantedotrono.com! Olá amados congressistas! Estamos nos preparando para o Congresso Internacional Adoração e Intercessão que vai ser realizado nos dias 17, 18 e 19 de abril de 2014, no ExpoMinas, em Belo Horizonte/MG.Neste ano, segundo a direção que o Senhor trouxe ao coração da pastora Ana Paula Valadão , a ênfase neste Congresso será sobre a nação brasileira.Irmãos de vários lugares do Brasil estarão nestes dias aprendendo mais sobre estratégias para conquistarmos nossa nação para o Senhor.  Quero te convidar a estar conosco em propósito de intercessão e jejum para gerarmos o que está no coração do Pai para este congresso. Serão 21 dias em que vamos separar um tempo de clamor e proclamação da Palavra e também neste período faremos o jejum de 3 delícias, aquilo que vai te fazer falta, em consagração ao Senhor!   Faremos três momentos de sete dias, que serão assim organizados:   27/03 a 02/04 – QUEBRANTAMENTO  Neste período vamos meditar e proclamar em 2 Crônicas 7.14-16; Salmos 32 e 1 Timóteo 2.1-5.   03 a 09/04 – BATALHA Neste período vamos meditar e proclamar em SALMOS 47, 70 e 91.   10 a 16/04 – ADORAÇÃO  Neste período vamos meditar e proclamar em SALMOS 33, 144 e Isaías 62.   Nossos motivos de oração são: Pela organização do congresso Pela programação Pela vida e família de Ana Paula Valadão Pela vida e família da pra. Ezenete Rodrigues Pelo Diante do Trono vocal e banda Pelo fluir de Deus nas ministrações   Pelos preletores CONFIRMADOS Atilano Muradas Gustavo Bessa – pastor da Igreja Batista da Lagoinha, em Belo Horizonte/MG. Hudson Medeiros – apóstolo do Ministério Brasil de Joelhos Neto – missionário do Ministério Fonte no Deserto, no Sertão Nordestino. Valnice Milhomens – apóstola da INSEJEC, Brasília/DF.   Pela participação de grupos musicais de diversos ritmos e estilos bem brasileiros. Pelos congressistas Pela viagem das caravanas   Que você seja surpreendido (a) com o sobrenatural do Senhor nestes dias! “E teu Pai que te vê em secreto te recompensará!” Orando por você, Pastora Ezenete Rodrigues Líder do Ministério de Intercessão Diante do Trono...

Leia Mais »

#100dias – 68 – Makrothumia

Postado por em mar 29, 2014 no 100 dias - Plenitude da Unção, Blog

#100dias – 68 – Makrothumia

DIA 68 (29.03) – O FRUTO DO ESPÍRITO SANTO NO CRENTE (21) paciência (1)  “Mas o fruto do Espírito é … Paciência (Longanimidade)” (Gálatas 5:22) SIGNIFICADO DO FRUTO Em nosso mundo impaciente e egocêntrico, uma qualidade do caráter rara, é a paciência ou longanimidade. Este é um atributo de Deus, sendo, consequentemente, fruto do Espírito Santo. Quando Paulo enumerou as nove qualidades chamadas “o Fruto do Espírito,” em Gálatas 5:22, dividiu-as em três grupos principais. Vimos o primeiro, que aborda as virtudes que levam nosso pensamento a focar-se em DEUS: Amor, Alegria e Paz. O segundo grupo contém aquelas virtudes que dirigem nossa atenção ao próximo. Apontam para a forma de nos relacionarmos com nosso semelhante, começando com PACIÊNCIA (longanimidade em várias versões da Bíblia). A qualidade da paciência é tida por muitos como passividade e tolerância. Todavia, o ensino Bíblico vai muito além disso. O que é a paciência para alguém com um ente querido em um voo que desaparece e as autoridades, depois de dias de busca, não tem noção do seu paradeiro? O que é a paciência para uma criança de quatro anos esperando o dia do seu aniversário? E para uma família que aguarda o retorno da guerra de um ente querido soldado, enviado a combater em um conflito armado? O que é paciência para um missionário ou o pastor que testemunha, ora, prega e ensina durante anos, e vê tão pouca resposta positiva? O que é paciência na mente do apóstolo Paulo, quando ele diz aos Gálatas: “O fruto do Espírito é… paciência”? SIGNIFICADO DA PALAVRA Paulo diz aos  Colossenses: “Corroborados com toda a fortaleza, segundo o poder da Sua glória, para toda a perseverança e longanimidade com gozo” (1:11). A Longanimidade ou paciência é aquela capacidade dada pelo Espírito Santo de confiar nas promessas de Deus. Não é uma emoção passiva, mas na realidade é uma expressão de fé e força do cristão, que vem do Espírito nele residente. A paciência vem quando começamos a ver as coisas da maneira que Deus as vê (2 Pedro 3:8-9 e Efésios 4:2). Há duas palavras gregas traduzidas como paciência no Novo Testamento. “Hupomonē”, que significa permanecer sob, como quando alguém consegue suportar um tempo sob um fardo. Refere-se à constância em circunstâncias difíceis. E “makrothumia,” definida como “paciência, tolerância, conformidade, tardio em vingança.” “Makrothumia,” que é usada em Gálatas 5:22, é composta por duas palavras: “makros” (longo ou grande) e “thumia” (paixão ou temperamento).  Portanto, a qualidade chamada Paciência, literalmente significa ter um “fusível longo,” ao contrário de ser curto/rápido, temperamental. Ou seja, a capacidade de manter a calma durante um longo período de tempo. Uma pessoa paciente é capaz de suportar muita dor e sofrimento sem murmurar. Não se ira facilmente diante das injustiças que lhe são praticadas. Mantém a serenidade e aguarda em Deus para trazer-lhe conforto e lidar com o mal. Em...

Leia Mais »