A Plenitude da Unção

Postado por em fev 1, 2014 no Blog, Novidades

A Plenitude da Unção

DECRETO 2014: Isaías 6 1:1-3

“Eis que o Espírito de Yahweh, o Soberano, está sobre mim, porque o SENHOR me ungiu para anunciar a Boa Nova aos pobres. Enviou-me para cuidar dos que estão com o coração quebrantado, proclamar liberdade aos cativos e libertação do mundo das trevas aos prisioneiros da escuridão; Para anunciar a todos o ano aceitável de Yahweh, e o Dia da vingança no nosso Deus; para consolar todos os que andam tristes, E dar a todos os que estão de luto e amargurados em Sião, uma linda coroa em vez de cinzas; óleo de júbilo em vez de pranto, e um manto festivo de louvor em lugar de um espírito abatido. Eles serão chamados Carvalhos de Justiça, plantação de Yahweh para manifestação do esplendor da sua glória.” (BKJ)

Desejamos a plenitude da unção para a qual viemos à luz, como Igreja. A redenção da Pátria é a visão que não se aparta dos nossos olhos. Viver o espírito que operava na Igreja em Jerusalém, é nossa vocação. Nossa missão: Ser uma comunidade de adoradores de Yahweh, evolvida na busca e salvação do perdido, para fazer dele um discípulo de Jesus Cristo, isto é, Sua reprodução, no caráter e na missão.

Neste ano preparatório, o decreto a ser gerado é de um significado extremo. Apresenta o Messias e seus papeis redentivos. Esta é uma mensagem messiânica de esperança para o povo de Deus que se encontrava sem rumo. Numa noite escura Deus promete a luz da libertação, vitória e renovo. No entanto a beleza do oráculo de Isaías não se encontra meramente no temporal. Ele capta a esperança do futuro Reino de Deus e a glória que se manifestaria com a vinda do Ungido, o Messias.

Importância do Texto:
Estamos diante de uma passagem da mais elevada importância. Este foi o texto que Jesus selecionou para seu primeiro sermão, pregado na sinagoga de Nazaré, onde Ele crescera. (Lucas 4:18-19)!

No capítulo quatro de Lucas Jesus é apresentado em seus primeiros dias de ministério. Após o batismo nas águas e no Espírito Santo, a vitória na tentação do deserto, num dia de sábado, “conforme seu costume”, Ele se apresenta na sinagoga e lê de uma forma tão distinta que capta a atenção de todos, Isaías 61:1-3: “O Espírito de Yahweh, o Soberano, está sobre mim…” E revela: “Hoje se cumpriu a Escritura que acabais de ouvir” (Lucas 4:21) .

“O Espírito de Yahweh o Soberano está sobre Mim”
A palavra “espírito” é muito interessante. Em hebraico é escrito “ruach”. Significa literalmente vento ou sopro, e vem da raiz do verbo “soprar ou respirar!” Este (Santo) Espírito é a própria respiração do Deus Todo-poderoso! Ele não só era Deus (e É Deus), mas tinha o próprio sopro de Deus sobre Ele.
Jesus operou o seu ministério no poder do Espírito de Deus! Jesus (o Homem-Deus) na sua humanidade dependeu do Espírito e do Seu Pai para tudo! Se Ele fez isso, com certeza devemos fazê-lo muito mais! Mas onde está o Espírito em referência a Jesus? Sobre Ele! A preposição “sobre” traduz o pequeno termo hebraico “al.” Significa primariamente “acima.” Pode significar, acima, sobre, ou até mesmo contra (no sentido de apoiar)! Soa como se o Espírito de Deus estivesse inteiramente sobre Jesus!

Em Jesus se encontrava a plenitude da unção do Espírito Santo. Ele tinha o Espírito sem medida, isto é, a atuação do Espírito em Sua vida era plena. “Porque aquele que Deus enviou fala as palavras de Deus; pois não lhe dá Deus o Espírito por medida” (João 3:34).

Este versículo diz-nos que Jesus tinha o Espírito Santo sobre Si em um grau incomensurável! (De uma forma ilimitada!) E assim como Jesus disse que o Espírito Santo estava sobre Ele, podemos dizer que Ele está dentro de nós (por causa do sangue derramado de nosso querido Salvador)! “Não sabeis que o vosso corpo é o templo do Espírito Santo, que habita em vós, proveniente de Deus, e que não sois de vós mesmos?” (1 Coríntios 6:19).
“Porque o SENHOR me ungiu”

Ungido: A palavra hebraica masah quer dizer literalmente “esfregar”, mas geralmente é usada para significar “ungir, consagrar.” A palavra ocorre 70 vezes no Antigo Testamento e é usualmente empregada para indicar separação para um ofício ou função específica. O Substantivo Messias (Mashiah) vem de masah e significa “ungido.” “O Ungido é designado e estabelecido publicamente para um status divino, com autoridade divina… isto implica em sua invencibilidade e proteção divina e em ser qualificado e equipado para a tarefa pelo Espírito do EU SOU!” (Notes de Waltke)
O azeite era usado para a unção no Antigo Testamento. Através dela eram estabelecidos os ofícios de rei, profeta e sacerdote. De todo os ensino Bíblico podemos destacar três coisas:

A unção é um elemento Divino de separação de alguém para uma determinada missão (Ex. 30:30)
Juntamente com a unção é conferida a habilidade Divina para o cumprimento da missão confiada (Ex 31:1-5).
A unção gera uma nova identidade de acordo com a missão a ser desempenhada (1 Sm 10:1,6,9).

Jesus possuía as unções de Profeta, Sacerdote e Rei. Tinha a PLENITUDE! O que é “plenitude?” Uma Experiência que nos leva a um clímax! Completude! Pleno! “É o estado daquilo que foi feito na totalidade, que atingiu a avaliação ou medida máxima.” Quando Paulo ora pelos Efésios, ressalta este conceito ao pedir que os discípulos possam “conhecer o amor de Cristo, que excede todo o entendimento, para que sejam cheios de toda a plenitude de Deus.” (Efésios 3:19).

QUAL O PROPÓSITO DA UNÇÃO

Qualquer que seja o ângulo pelo qual de estude a unção na Bíblia, não há como fugir ao fato de que está relacionada à habilidade Divina para cumprir uma tarefa ou missão. Quando colocamos diante de nós a expressão, PLENITUDE DA UNÇÃO, como o rosto de 2014, precisamos ter uma visão clara do que queremos dizer.

Durante cinco dias do nosso período de doze dias de santificação, olhamos para o relacionamento de Jesus com o Espírito Santo como o padrão, o modelo a ser seguido por nós. Ressaltamos que Jesus nos transferiu sua vida e sua missão e, com esta, Sua habilidade para cumpri-la.

Nascidos do Espírito, cheios do Espírito e sendo guiados pelo Espírito, como um modo de viver, certamente levar-nos-á a um crescimento na imagem do Senhor Jesus. Seu caráter ir-se-á em nós aperfeiçoando. Todavia, o batismo no Espírito Santo e a realização da obra de Deus no poder do Espírito, remetem-nos á missão de testemunhas de Cristo a um mundo perdido.
Queremos ver a plenitude da unção manifesta em nossos púlpitos, células, casas, classe, habilitando-nos a cumprir a Grande Comissão. Quase todos os presidentes de Igrejas locais estaremos reunidos em Bogotá, centrados em estratégias de cumprimento da missão. Todavia, é a habilidade do Espírito Santo que provocará no coração daqueles a quem iremos levar o Evangelho o genuíno arrependimento e conversão.

Queremos deixar claro, de passagem, que nenhum de nós tem todas as unções do Espírito. Em outras palavras, só Jesus teve a plenitude. No entanto o Corpo de Cristo a tem. O Espírito reparte as Suas habilidades a cada um, como lhe apraz. TODOS somos responsáveis por buscar a plenitude da(s) habilidade(s) que nos for confiada, em particular. JUNTOS teremos a PLENITUDE DA UNÇÃO.

O SENHOR me ungiu para…

Os papeis da Unção

1. PREGADOR – “Para anunciar a Boa Nova aos pobres”. O Espírito Santo nos unge para anunciar a Boa Nova aos pobres. Ele nos chama a exercer o papel de um profeta para anunciar o que é verdadeiro, nobre, reto, puro, lindo, excelente, admirável e digno de louvor para aqueles que reconhecem a sua pobreza espiritual. Temos de estar envolvidos na pregação da Boa Nova para aqueles que são mansos, humildes e penitentes. Para essas pessoas ensináveis a Palavra de Deus é realmente uma boa notícia. Não hesitemos em proclamar, pregar e anunciar a cura para o câncer espiritual no mundo de hoje. Somos pregadores da justiça em um mundo em densas trevas morais e espirituais.

2. SARADOR – “Enviou-me para cuidar dos que estão com o coração quebrantado.” O Espírito Santo nos unge para curar os de coração despedaçado. Aqueles de almas quebradas por causa do pecado, que são realmente humilhados por um sentimento de culpa e medo da ira de Deus contra o pecado, de bom grado receberão um caloroso abraço dos amorosos braços de Cristo, para curar a sua alma estilhaçada por todo tipo de investida das hostes da maldade. As pessoas que se sentem dilaceradas pelas pressões, problemas e preocupações deste mundo precisam experimentar de Deus, o poder restaurador e sarador. Que o Senhor nos use para confortar aqueles que estão sangrando e dispostos a permitir que a Palavra de Deus e o Espírito Santo os salve e remova seus temores. A Igreja tem de ser um lugar de cura em todas as esferas da personalidade humana.

3. LIBERTADOR – “Proclamar liberdade aos cativos e libertação do mundo das trevas aos prisioneiros da escuridão.” O Espírito Santo nos unge para proclamar liberdade aos cativos. Ele nos envia como profetas, para pregar; como sacerdotes, para curar e também como um rei, para proclamar a liberdade a todos os prisioneiros do pecado, da opressão do mal e da escravidão de apetites pessoais. Assim como proclamamos libertação do domínio do pecado, podemos anunciar como Cristo nos ajuda a triunfar sobre o mal, renunciando o diabo e suas obras. A palavra de Deus, o Espírito Santo e o sangue do Senhor Jesus Cristo vencem o mundo, portanto devemos levar esperança e bom ânimo para os “prisioneiros da escuridão.” Estamos revestidos de autoridade para quebrar os grilhões prisioneiros e deixar ir em liberdade aquele por quem Cristo já pagou um preço de plena libertação. Publiquemos lá fora a glória do Seu nome, mostrando às pessoas como se apropriarem da Sua livre graça, amor e liberdade.

4. ARAUTO-GUERREIRO ESPIRITUAL – “Para anunciar a todos o ano aceitável de Yahweh, e o Dia da vingança no nosso Deus.” O Espírito Santo nos unge para guerrear contra os inimigos. Não somente proclamamos que chegou o dia tomar de volta tudo o que o diabo roubou (jubileu). Cristo proclama o dia da vingança do nosso Deus contra tudo o que é mal. Está chegando o dia quando os não-cristãos terão de comparecer diante do grande Trono Branco para juízo de sua vida de pecado e devassidão. Sim, anunciamos que Deus julgará vivos e mortos e esse dia se aproxima. Também convém que os cristãos passem diante do Tribunal de Cristo para dar contas a Deus de tudo quanto fizeram. Que possamos aprender a lutar o bom combate da fé, ensinando os outros a colocar a armadura completa de Deus e ir para a frente da batalha pelos corações e mentes das pessoas em todo o mundo. Não nos furtemos em face da oposição, sabendo que maior é aquele que está em nós do que aquele que está no mundo.

5. CONSOLADOR – “Para consolar todos os que andam tristes.” O Espírito Santo nos unge para consolar aqueles que choram. Há tanta tristeza no mundo de hoje com poucas pessoas dispostas a trazer conforto para o ferido! O Espírito de Deus nos habilita a exercer o ministério de consolador através da promessa: “Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai das misericórdias e o Deus de toda a consolação; que nos consola em toda a nossa tribulação, para que também possamos consolar os que estiverem em alguma tribulação, com a consolação com que nós mesmos somos consolados por Deus” (2 Coríntios 1:3,4). Peçamos ao Senhor para ajudar-nos a trazer uma maior quantidade e qualidade de conforto às pessoas que estão em grande necessidade. Que nos dê corações enternecidos que provam empatia diante dos tristes e abatidos. Sejamos transmissores do gozo do Senhor.

6. PORTADOR DA BELEZA EM VEZ DE CINZAS – “E dar a todos os que estão de luto e amargurados em Sião, uma linda coroa em vez de cinzas.” O Espírito Santo nos unge para trazer o que é belo, verdadeiro e santo para a vida de quem vive no desânimo, na deterioração e decadência. Permitamos que Ele nos use para afastar as pessoas da morte para a vida, através da obra redentora de Cristo, nosso Senhor e Salvador. Vamos trazer mais beleza para os corações, as mentes e as almas das pessoas para uma duradoura beleza que agrada ao Senhor, em todos os aspectos, e dar frutos para a eternidade. Sejamos canais que trocam as vestes de luto pelas festivas.

7. DISTRIBUIDOR DO ÓLEO DA ALEGRIA – “Óleo de júbilo em vez de pranto.” O Espírito Santo nos unge para ministrar o óleo da alegria àqueles que estão tristes, angustiados e feridos. Permitamos que outras pessoas possam experimentar um novo brilho no seu rosto por causa do óleo do fruto do Espírito Santo de amor, alegria, paz, paciência, gentileza, bondade, mansidão, fidelidade e domínio próprio. Quando o óleo do Espírito Santo é evidente em nossa vida seremos capazes de manter as chamas da alegria a brilhar e libertar as pessoas das trevas da depressão, desânimo e prostração.

8. POVO DE LOUVOR – “E um manto festivo de louvor em lugar de um espírito abatido.” O Espírito Santo nos unge para louvar a Deus pela Sua grandeza, bondade e glória. Ele lança sobre nós as vestes, as evidências de louvor, em vez de luto. Ele nos ajuda a descobrir o poder do louvor para nos levantar quando estamos afundando sob o peso dos sentimentos de desespero. Pessoas que louvam a Deus por Seus atributos encontram livramento de um espírito de abatimento, prostração e desespero.

9. PLANTADORES DE JUSTIÇA – “Eles serão chamados Carvalhos de Justiça.” O Espírito Santo nos unge para plantar e fazer crescer novos discípulos e igrejas em todo o mundo. O Senhor Jesus usa-nos para ajudar a plantar novas sementes que germinam em novos convertidos e igrejas que são usadas por Ele como árvores vivas dando frutos para o benefício de muitos. Deixemos que o Senhor nos use para plantar sementes de justiça, de verdade, de amor, de paz e evangelismo onde quer que vá.

10. EXIBIDORES DA GLÓRIA DE DEUS. “Para manifestação do esplendor da sua glória.” O fim de tudo é a glória de Deus. Todas essas expressões da obra do Messias confiada hoje à Sua Igreja, exibem o esplendor da glória desse Deus maravilhoso que, em Cristo, veio trazer-nos a redenção. Ecoe em nossos ouvidos:
• “Anunciai entre as nações a sua glória; entre todos os povos as suas maravilhas” (Sl 96:3)
• “E bendito seja para sempre o seu nome glorioso; e encha-se toda a terra da sua glória. Amém e Amém” (Sl 72:19). Nós somos os que encheremos a terra desse conhecimento, na unção do Santo Espírito.
• “Então temerão o nome de Yahweh desde o poente, e a sua glória desde o nascente do sol” (Is 59:19). Não podemos dar descanso a nós mesmos até que isto se torne uma realidade.
• “Com o fim de sermos para louvor da sua glória, nós os que primeiro esperamos em Cristo. Ele nos predestinou para filhos de adoção por Jesus Cristo, para si mesmo, segundo o beneplácito de sua vontade, Para louvor e glória da sua graça, pela qual nos fez agradáveis a si no Amado” (Ef 1:5,6,12).