INSEJEC - Igreja Nacional do Senhor Jesus Cristo

Visão Celular

Origem | Características | A Escada do Sucesso |

 Ganhar | Consolidar | Treinar | Enviar | G12 Brasil

 

 

Em 1983, O pastor colombiano, César Castellanos, depois de se frustrar com o ministério, decidiu renunciar ao pastorado e esperar em Deus. Em uma experiência sobrenatural, recebeu uma palavra: “Sonha e ganharás o mundo, porque os sonhos são a linguagem do meu Espírito.” Teve, então, a visão dos grãos de areia se convertendo em vidas. Logo veio a Palavra do Senhor, de que pastorearia uma Igreja que, de tão numerosa, não poderia contar. Teve uma reunião em sua casa, com oito pessoas. Era o nascimento da Missão Carismática Internacional(MCI). Inspirou-se nos livros do Pr. Yonggi Cho e, desde o início, desenvolvia uma Igreja em células. Esta cresceu, mas as células estancaram. Pr. César buscou ao Senhor, insistentemente, sobre uma estratégia. Ela veio: Fazer o que Jesus fez: concentrar-se em doze, que fizessem o mesmo, em sucessivas gerações.

Um ministério respaldado por muito jejum e oração e forte trabalho na formação do caráter de Cristo nos discípulos. Tudo conquistado pela fé prática, alimentada pelas Palavra de Deus e Suas promessas.

A estratégia foi sendo colocada em prática, e os resultados não se fizeram esperar. Chamada hoje G12 (Governo dos Doze), A MCI, 30 anos depois, é um Igreja com mais de 200.000 mil pessoas, só em Bogotá, e 40.000 células. Espalhou-se pelo país e além fronteiras. Tem se tornando um modelo de discipulado para milhares de igrejas, das mais diversas denominações, nos cinco continentes.

 

Muitas Igrejas em Células no mundo usam a célula com dois propósitos: evangelismo e edificação, enquanto o modelo G12 usa a célula aberta para evangelismo e o grupo de doze só para discipulado. Portanto, o propósito principal de nossas células é alcançar os perdidos com quem os discípulos possam ter contato, como família, parentes, amigos, vizinhos, colegas na escola, no trabalho, e toda oportunidade de contato, natural ou criada.

Cada Célula tem a meta de multiplicar-se em doze outras células. Aqui está outra diferença entre o modelo G12 e outros modelos. A meta é dar à luz, a partir da célula evangelística, a doze outras células. Para cumprir esta meta, doze líderes na célula mãe devem ser formados. Isto significa que um número maior tem que ser alcançado, uma vez que nem todos se tornam líderes. Jesus tinha muitos seguidores quando escolheu Seus doze.

No G12:

  • Todos os membros da célula são vistos como líderes em potencial, embora na prática nem todos o sejam.
  • Os líderes de célula formam células de liderança, chamadas G12. Cada G12, formado exclusivamente por líderes, tem o número máximo de 12 pessoas.
  • As células de liderança são fechadas e permanentes. Nelas seus membros são edificados, discipulados e supervisionados.
  • As células são homogêneas. Células de homens, mulheres, jovens, profissionais, etc.
  • A partir do pastor titular há uma cadeia de gerações de 12. O pastor tem 12 líderes. Cada um destes busca formar 12, que têm a meta de formar 12, e assim sucessivamente. Trata-se de uma meta de crescimento exponencial: 12, 144,1728….
  • Os princípios cruciais G12 incluem:

 Cada pessoa pode se tornar um líder;

Cada líder pode discipular e supervisionar outros líderes;

As pessoas precisam ser libertas (cadeias quebradas) para servirem como trabalhadores da colheita;

Um claro treinamento deve seguir o encontro;

Deve haver oração fervorosa e um claro compromisso com Cristo.

Como forma estratégica para alcançar os objetivos do G12, é seguido um programa de quatro fases, chamado “Escada do Sucesso:” Ganhar, Consolidar, Treinar e Enviar.

Convém, ainda, deixar claro, que a estrutura sem os princípios não passa de esqueleto inanimado. São os princípios que dão vida. Os princípios guiam a estrutura, e não ao contrário.  A estratégia de Igreja em células necessitará constantemente ser refinada. A forma, a estrutura, as estratégias podem mudar. Os princípios, porém, permanecem.

A Escada do Sucesso é um processo de quatro etapas ensinado pelo Fundador do Movimento Internacional G12, e diligentemente aplicada em todas as Igrejas G12.

 

 

 

 

Ganhar quer dizer “buscar o perdido” – as pessoas que não conhecem a Jesus – e, através da pregação do Evangelho e da operação do Espírito Santo, levá-las ao arrependimento de pecados e fé em Jesus, recebendo-O como seu único e todo suficiente Senhor e Salvador pessoal.

Reconhecemos que os valores cristãos devem ser expressos em casa e na sociedade, onde quer que o discípulo esteja ou vá, como poderosa testemunha do Evangelho de Jesus Cristo. Objetivando fazer discípulos como um estilo de vida, deste modo cumprindo a Grande Comissão, usamos a estratégia da Célula, onde nós vivemos, trabalhamos, estudamos e encontramos pessoas, como a principal ferramenta para ganhar almas para Jesus.

A Célula é a estratégia principal para ganhar o perdido. Seu propósito é principalmente evangelismo. Mas este também deve ser feito por outros meios, como os eventos de colheita e as celebrações da Igreja, nunca negligenciando o testemunho pessoal.

A Célula se reunirá em qualquer lugar conveniente para compartilhar o Evangelho com o pecador.

As células são a coluna vertebral da Igreja. Nossa visão não é uma Igreja com células, mas uma Igreja em Células. Nosso lema: Cada discípulo um líder e em casa uma célula.

Os grupos pequenos, ou “células,” são um modelo Neotestamentário. Na Igreja primitiva foi a estratégia responsável pelo crescimento explosivo. Milhares se converteram a Cristo pela pregação apostólica e foram acolhidos nas reuniões nas casas (Atos 2:42,46,47). Ao longo da história da Igreja, as células desempenharam um papel chave. Até que Constantino se convertesse ao Cristianismo e este se tornasse privilegiado, a casa e os grupos pequenos mantiveram a Igreja em marcha vitoriosa e crescente.

ESTRATÉGIA DE ORAÇÃO POR 3 POR 30 DIAS

A partir de um líder de célula e um “Timóteo” (auxiliar em formação), pode se começar um processo de ganhar, rumo à multiplicação.

O evangelismo começa com a oração perseverante.

SEMANA 1

1. Cada um dos dois escolhe três pessoas descrentes por quem orar por 30 dias (6 no total). Deve ser alguém que poderá participar da célula, que mora perto da casa.

2. Cada um dos dois ora diariamente pelas seis pessoas.

3. Encontram-se uma vez por semana para orar pelos seis nomes.

SEMANA 2

Telefonar para cada pessoa por quem está orando, a fim de perguntar qual a necessidade pela qual gostaria que ela orasse. O líder chama o Timóteo para ir a sua casa, para juntos para fazerem os seis telefonemas. O líder telefona primeiro para os seus três e depois o Timóteo aos seus (estará assim treinando o Timóteo pela demonstração).

SEMANAS 3 e 4

Telefonar novamente  para marcar uma visita. Serão necessárias duas semanas para visitar os seis. Sempre juntos. Objetivo: Convidar a pessoa para a Festa que será feita depois dos 30 dias de oração.

SEMANA 5

Festa de colheita, encerrando os 30 dias de oração.

SEMANA 6

Abertura da célula com as seis pessoas ganhas, mais o líder e o Timóteo

– Desafiar a cada membro da nova célula a ganhar um nos próximos 3 meses.

– Prepará-los para o encontro.

A meta é alcançar 12 novos. Quando isto ocorre, a célula se divide em duas. O Timóteo fica com seis e o líder com 6. Cada um escolhe um Timóteo, e o processo começa novamente, com oração por três. Nunca haverá lugar para parar de se envolver com o ganhar vidas para Cristo e discipulá-las. Só assim cumpriremos a Grande Comissão.

Meta: Ganhar uma vida por mês. Seguindo-se o processo, o líder formará quatro outros líderes em um ano.

 

 

 

Levar as pessoas à experiência de novo nascimento (João 3:3), o qual é uma obra do Espírito Santo, demanda trabalho (1 Coríntios 4:15). No natural, uma vez que os filhos nascem, o trabalho dos pais aumenta (Gálatas 4:19; Atos 14:22). O mesmo ocorre com os filhos espirituais. Precisamos orar por um espírito de paternidade e maternidade espiritual para conduzir esses novos bebês em Cristo, passo a passo, rumo à maturidade cristã.

Quando uma pessoa recebe a Jesus em uma celebração no templo ou outro lugar, o processo de consolidação deve começar, imediatamente, a fim de que o fruto seja conservado. Tudo deve ser feito tendo em vista um encontro verdadeiro entre a pessoa e Jesus. A decisão não significa conversão e o programa aqui apresentado visa criar o ambiente propício à experiência de regeneração, que é um trabalho do Espírito Santo.

Consolidação é “O cuidado e a atenção que devemos dar ao novo convertido para reproduzir nele o caráter de Cristo, de maneira que sua vida cumpra com o propósito de Deus: Dar fruto que perdure” (César Castellanos).

Após a Decisão

Apresentar, de forma breve, o plano de salvação. O novo crente preenche um cartão de decisão com seus dados e indica uma necessidade pessoal, a qual será objeto de oração.

Fonovisita

A fonovisita é uma ligação telefônica que se faz ao decidido, dentro das próximas 48 horas. Seu propósito é reafirmar-lhe que a Igreja está orando por ele e marcar uma visita durante aquela semana.

Visita

Na visita, a necessidade indicada no cartão de decisão será alvo de curta mensagem e oração. Visitar um lar, traz a presença de Cristo a esta família.

Localização na Célula

O novo crente é colocado em uma célula e confiado a um líder. Começa a preparação para o encontro.

PRÉ-ENCONTRO

O Encontro é um retiro espiritual durante um fim de semana. Será precedido por um Pré-encontro, o qual é um período de sete semanas depois da decisão para Jesus, quando o novo crente será exposto ao ensino da Bíblia, uma vez por semana. Serão sete lições sobre fundamentos básicos da salvação. Durante este período eles serão encorajados a ir ao Encontro como uma oportunidade para uma real experiência de transformação, num encontro com Jesus.

ENCONTRO

Trata-se de retiro espiritual de três dias. O objetivo central é uma genuína experiência de conversão em um encontro real com Cristo. É a primeira experiência de confrontação que o novo convertido tem, cara a cara com Deus, com Sua Palavra, consigo mesmo, e com seu passado.

Objetivos:
 Levar o novo crente a uma profunda experiência de

Verdadeiro arrependimento e perdão de pecados;

Ter plena segurança de sua salvação.

Romper ataduras que o ligavam ao seu passado.

Receber cura em seu coração.

Receber e experimentar a plenitude do Espírito Santo em sua vida.

Ter bem clara a visão da missão de ganhar vidas, consolidá-las, treiná-las e enviá-las, como reprodutores de discípulos de Jesus (2 Timóteo 2:2).

PÓS – ENCONTRO

Após o Encontro, seguir-se-ão sete semanas de estudos Bíblicos, uma vez por semana. Propósito: Ensinar ao novo discípulo como lidar com os contra-ataques de Satanás, e 
como cortar sua relação com o mundo, o pecado, a carne e o diabo. Como enfrentar os problemas e vencer, escapando da tentação, e vivendo em vitória e santidade. O Pós-Encontro ensina também os novos crentes a como se relacionar com Deus. É fundamental para a consolidação e preparo para o próximo passo na Escada do sucesso.

 

Compreendendo que:

  • A Grande Comissão é fazer discípulos e ensinar-lhes todo o conselho de Deus;
  • Todo crente tem um ministério a ser realizado;
  • Todo crente tem dons ministeriais a serem desenvolvidos;
  • Todo ministério necessita de treinamento adequado para ser realizado;

Manteremos um sistema de ensino baseado em diferentes escolas, abrangendo várias áreas de ministério e discipulado, começando com  CAPACITAÇÃO DESTINO, para a formação dos líderes de célula.

Capacitação Destino é um programa interativo de discipulado para toda a igreja, fazendo de cada discípulo, um líder. Consiste em seis módulos de dez semanas cada um. Tem um ano de duração e é dividido em três etapas, com dois módulos em cada uma

  1. PASTOREADOS EM SEU AMOR: Estabelece os fundamentos para uma vida cristã bem-sucedida.
  2. O PODER DE UMA VISÃO: Tudo o que é preciso saber acerca da Visão e o necessário para colocá-la em prática.
  3. A ESTRATÉGIA DO GANHAR: Aprenda como ganhar almas com eficácia em uma célula.
  4. FAMÍLIAS COM PROPÓSITO: Descubra a ideia de Deus para a família e como formar famílias conforme a vontade de Deus.
  5. LIDERANÇA EFICAZ: Este módulo apresenta as áreas chave que você precisará desenvolver em sua vida para se transformar em um líder de influência
  6. O ESPÍRITO SANTO EM Mim: Descubra como experimentar o poder do Espírito Santo em sua vida

Capacitação Destino foi projetado para:

  • CONECTAR os estudantes com um Deus para o qual nada é impossível.
  • Ajudar os estudantes a compreenderem que cada um tem o poder de CONCEBER o sonho de Deus para sua vida.
  • Treinar todos os membros para que sejam aqueles que podem CRIAR um destino de acordo com a vontade de Deus para suas vidas e Igrejas.

REENCONTRO

Após o segundo nível de Capacitação Destino o aluno vai a um retiro espiritual de três dias, chamado Reencontro. Seu propósito é ministrar aos líderes que passarão a ministrar a novos. O moto, portanto, é: Ministrados para ministrar. No Reencontro a visão de liderança, a missão, e a Grande Comissão de Jesus, devem ser aprofundadas. Os princípios de cura emocional, libertação, restauração e unção do Espírito Santo devem ser assimilados, de modo que o novo líder se firme no fundamento da Palavra de Deus sobre essas questões, para andar em vitória. Ele deve se apropriar das ferramentas espirituais para permanecer sarado e liberto no meio de todas as circunstâncias.

É no Reencontro que o novo líder é comissionado para abrir sua célula.

O G12 nasce de fato no Reencontro. Os membros da célula que foram aprovados tornam-se parte do grupo de doze do seu líder. Eles, logo após o Reencontro, devem começar seu ministério como líderes de célula, deixando a célula de onde vieram, embora ligados ao seu líder, como parte da sua equipe de doze. Quem chega aqui, atinge o primeiro nível de liderança na Igreja: Líder de Célula, que faz parte do último degrau da Escada do Sucesso.

“As visões morrem sem implantação na vida de outro. Não pode haver qualquer sucesso sem sucessores” (Hendricks).

O desafio é manter uma contínua paixão por Jesus e pelas vidas, fazendo da formação de discípulos, um estilo de vida, no espírito do conselho de Paulo a Timóteo: “E as coisas que de mim ouviste pessoalmente na presença de muitas testemunhas, confia-as a homens dignos de confiança que possuem um caráter tal que sejam capazes de ensinar também a outros” (2 Timóteo 2:2 – WUEST).

Nesta parte da estratégia, o discípulo treinado abre sua própria célula e passa a fazer parte de um grupo G12.

Seu foco é trabalhar no sentido de desenvolver seu próprio grupo G12 (composto de líderes que ele mentoreará a partir de sua célula, através da multiplicação).

Entendemos que a maneira mais eficaz de multiplicação de discípulos é feita através das células, permitindo que cada líder alcance o seu potencial espiritual. Cremos que ser cristão é ser a reprodução de Jesus, em Seu caráter e em sua missão. Este modelo possibilita as duas coisas: Pelas células evangelísticas, a missão (Mateus 18:19,20) é cumprida. Pelo grupo de doze, a contínua formação do caráter é garantida.

Dentro das células, os discípulos aprenderão, pelo modelo do seu líder, a evangelizar, edificar e formar o caráter e valores bíblicos. O novo crente se une à célula aberta e passa através de todas as fases de ganhar, consolidar e treinar, até que ele esteja pronto para abrir sua própria célula (Enviar).

Grupo G12

O G12 é um grupo de desenvolvimento de liderança. Ele é composto de discípulos que estão liderando células. Até 12 destes líderes são agrupados sob a liderança de um líder de Doze. Por sua vez, cada um destes será ajudado a formar o seu próprio grupo de 12, permitindo a cadeia de multiplicação, em sucessivas gerações de 12.

Novos crentes são treinados na Capacitação Destino, onde são treinados para ir e ganhar os perdidos, e exercer uma liderança de influência positiva sobre eles, reproduzindo o caráter de Cristo em cada um.

É um ciclo contínuo, onde todo o que recebe a Cristo, se capacita, para que outros vivam a mesma experiência, e assim sucessivamente. Alcançamos que cada crente seja um líder, quando o envolvemos em um processo de formação Bíblica e de formação do caráter de Cristo, para que eles sejam um fiel reflexo do Mestre. A Grande Comissão nos indica que devemos “ir e fazer discípulos… lhes ensinando a guardar todas as coisas que Jesus mandou”.